BLOG

Dicas para construir ou reformar uma casa sem dor de cabeça

Ter um imóvel é o sonho de muitas pessoas e, para alguns, é o grande objetivo de vida. Em certos casos, a construção de uma casa, praticamente do zero, é o maior desejo, pois assim conseguimos projetar o lar de acordo com a personalidade e as necessidades da família. Porém, para que isso aconteça é preciso passar por algumas etapas que são essenciais, começando pela escolha do terreno – a tipografia deve ser bem avaliada e o ideal é que o lote seja o mais plano possível. Isso já irá elucidar o quanto será gasto na construção da casa, uma vez que quanto mais desnível tiver o terreno, mais oneroso será o m² final. O segundo passo está em observar a vista, como aproveitá-la da melhor forma não só como visual em si como pensando em circulação de ar e ventilação natural.

Ainda falando sobre o terreno, antes de fechar qualquer negócio, sugiro observar a parte de sondagem a fim de saber como é feita a composição do solo, uma vez que existem algumas que facilitam o trabalho e outras podem dificultar e, consequentemente, gerar custos a mais. Para quem pretende comprar terrenos que ficam mais afastados dos grandes centros urbanos, vale levar em consideração a infraestrutura da região como, sistema de esgoto, sistema de abastecimento, distribuição de água, de energia, sinal de internet e televisão. Essa é uma questão de extrema importância, visto que em lugares muito remotos podem acabar não tendo acesso a essa infraestrutura básica tão facilmente. Nesse tipo de situação, o proprietário deve pensar em como a região se desenvolverá, quais são as chances de desenvolvimento, etc. (tudo isso, no final, influenciará na valorização do imóvel). Também não podemos esquecer dos vizinhos. É interessante verificar qual é o recuo, pois se for lote de rua ou em condomínio, ambos têm regras construtivas que devem ser analisadas antes da compra, já que as normas podem ser muito restritivas. Assim, mesmo com um terreno grande só poderá construir em uma área pequena e não aproveitar todo o lote.

Depois de passar por todas as etapas do terreno é hora da construção em si. A primeira atitude é a contratação de bons profissionais para colocar os sonhos no papel. O profissional de arquitetura, que desenvolverá o projeto, traz consigo uma equipe para assessorar o projeto, como paisagista, engenheiro estrutural, engenheiro hidráulico, engenheiro elétrico, entre outros nomes capacitados para as mais variadas funções. Além disso, ele é capaz de indicar os parceiros que costumam a trabalhar para montar cada pedacinho da casa nova, de marcenaria e fornecedores de móveis soltos.

Antes de começar a construção é importante termos um briefing muito bem detalhado para entendermos todas as necessidades da família, porque pode influenciar diretamente no tipo de material que será utilizado. Definir que o tipo da casa, quantos cômodos, como será a composição dos ambientes, quais eletrodomésticos serão usados, se haverá um animal estimação – tudo isso tem que ser definido antes da construção. Por isso, o briefing tem que ser muito bem feito para que a casa não tenha intervenções depois de pronta (o que também gera custos e poderá estourar o orçamento inicial determinado).

Em relação à reforma de uma casa, ela se assemelha com o que fazemos em um apartamento, mas temos que tomar cuidado com a complexidade das mudanças. Se for algo complexo, com uma estrutura muito grande e a casa estiver sendo construída no meio de um entorno que tem vários vizinhos em volta, o ideal é que o proprietário faça um laudo de vizinhança. Normalmente, quando isso acontece, se está uma fase mais crítica de demolição, pode ser que tenha algum abalo em alguma nas estruturas e os vizinhos comecem a reclamar que estão tendo danos pontuais em suas casas. Com o laudo de vizinhança, conseguimos evitar que isso aconteça, porque temos um relatório fotográfico da atual situação das casas ao redor da reforma. Isso são provas concretas de que qualquer outra avaria na casa ou já eram existentes ou são novas e não estão relacionadas com a reforma. Outra preocupação que não pode passar despercebida é a questão de telhado, item que costuma dar muito problema, principalmente em casas antigas. Então é necessário fazer uma revisão total do telhado e da infraestrutura para deixar tudo atualizado.

Por fim, dependendo do briefing do cliente, conseguimos entender se terá um acréscimo de área construída. Com isso, temos que entender se esse acréscimo é permitido (vale a consulta na prefeitura). Se for permitido e esse acréscimo de área for realizado antes da execução, temos que fazer um projeto técnico, enviar para prefeitura e pedir aprovação de construção. É um processo bem burocrático, porém necessário, pois esse acréscimo pode refletir no valor de IPTU do terreno.