BLOG

Como definir as cores e o estilo de um projeto

Não há melhor sensação do que se sentir em casa, se reconhecer dentro de cada canto, ter muitas histórias para contar, compartilhar. Quanto mais essas memórias estiverem evidentes nas casas, mais interessante elas ficarão, não tenho dúvida disso. Para mergulhar fundo no universo dos nossos clientes, sempre falo muito com eles, pessoalmente, na residência com o intuito de entender quais são as qualidades e os defeitos dos espaços. Busco compreender a dinâmica de vida da família, que horas cada um acorda, como vão trabalhar, quais as principais atividades que desejam em casa. Precisamos entender minuciosamente o que os clientes querem, onde desejam chegar. Quando mais conhecermos tudo o que eles gostam, nas entrelinhas, melhor vamos entender o estilo desejado da família. Listei, como exemplo, os estilos mais comuns e mencionei que cores, materiais e elementos têm relação com cada um.

Rústico: preza pelo aconchego e simplicidade, evidenciando os materiais naturais como madeira, cimento queimado, pedra, tijolo e cores quentes puxando para os tons terrosos. A presença das plantas também marca esse estilo.

Escandinavo: é mais clean, transitando por linhas retas e detalhes minimalistas. Para decorar um ambiente seguindo essa tendência devemos adotar móveis mais claros, leves e abusar da luz natural, que valorizada cada detalhe do espaço.

Minimalista: onde encontramos a famosa frase do arquiteto Mies Van Der Rohe “o menos é mais”. O minimalismo quer trazer paz e tranquilidade em oposição ao caos e confusão do mundo moderno. Para transmitir seu lema ao ambiente, o segredo é contar com formas simples e em peças que unam decoração e utilidade ao mesmo tempo.

Moderno: quando a sua personalidade é mais ligada aos tempos de hoje, o estilo moderno vai te agradar muito. Valorizando as tecnologias, ele evidencia as formas retas, tonalidades mais neutras e poucos elementos. Vale investir em um bom projeto de iluminação, o que realçará a decoração.

Tropical: as plantas, conhecidas na atmosfera Urban Jungle, humanizam e transformam os espaços. Também servem para compor a decoração tropical e brasileira, marcada por uma alegria e vivacidade natural únicas. As estampas, o colorido em almofadas, tecidos e outras superfícies também ajudam a remeter a esse estilo tão brasileiro e tão lúdico. Tem tudo a ver com o clima do Brasil!

Industrial: surgiu em Nova Iorque, na década de 1950, quando antigos galpões e fábricas passaram a ser usados como residências, muitos preservando os acabamentos originais. É marcado pelo uso de paredes com revestimento de tijolo, assim como concreto, fiações, tubulações e estruturas aparentes.

Retrô: tem ligação com quem gosta de resgatar as tendências de outras épocas, revisitadas com toques de modernidade e tecnologia atuais. As peças usadas são releituras daquelas usadas antigamente, geralmente adaptadas aos dias de hoje.

Clássico: nesse estilo há o uso de detalhes rebuscados, formas torneadas e tonalidades elegantes como dourado, prateado e branco. Atemporal, suas diretrizes são o luxo, a sofisticação e bastante informação visual.

Contemporâneo: nesse estilo, as curvas e formas orgânicas são adotadas para trazer um visual ousado e despojado. Há uma forte ligação com a tecnologia, portanto a automação entra em destaque para complementar o uso das luminárias nos espaços. Como são itens que se adaptam bem ao modo de vida atual, são opções que vão bem para todos os espaços conforme proporções dos espaços e usos específicos.